Programa

São calhaus e mais calhaus, situações, ensaios de sintaxe e nanonarrativa à volta do João e do que se faz com o João: calhaus. Recolhidos e montados por Hugo Milhanas Machado.

100

O império é todo de luz, uma bola gigante metida nas estrelas, digo João.

099

É Dezembro e o João voa uma canção.

098

Imaginando no peixe, o João começa trabalho; aquela tão longe, nuvem de papel, esta tão fofa que vai pousar. 

097

Uma porta, coisa do conseguimento, dizem ao João, mas ele mete as horas. 

096

Percebeu agora a porta, que alguém vinha aí, e quando assim é o João vai logo contar e sobe, sobe e quando chega ouve alguém falar-lhe do castelo, que o castelo é todo dele. 

095

O João usa nas figuras, não persegue comboios, corre neles; o João é breve. 

094

Quando lhe dizem Jão ele encolhe, faz assim uma coisa com os braços, é sorriso dele. 

093

Uma terra o João só sabe do nome, e depois o comboio que passou; isto assim mexe, diz-nos, que isto assim inove. 

092

No mês do Natal o João é do sino, cresce uns anos, telefona a um amigo, só um, umas coisas do tempo da escola.

091

Quando senta, quando fala, quando mete mar nas coisas, o João monta assim um sonho; é um gozo, diz. 

090

Vai ser uma casa, diz o João, as pás todas mandadas. 

089

O João lê complicado.

088

Não passa ninguém, pensa o João. Vamos lá. 

087

Ena, tanta música, fala o João.

086

Ainda se vê o João no sofá, pensa o João.

085

Ainda se vê uma parte do João no sofá, pensa a Inês.

084

O João pensou: faz lá aquilo dos brincos.

083

O João deita onde der:
- Aqui cabemos.

082

O João vem pela morena da tarde, no agosto.  

081

O João viu o postal da Inês. Ela entrou em casa.

080

O João não recebeu carta da Inês.

079

O João tem o pé no feijão.

078

Então escondeu a mão, e o João pensou: ia ser hoje.

077

João, mas não viste os barcos chegarem?

076

O João organiza viagens à mesa, com madalenas.

075

Diz o João:
- ... aaaaaarim!

074

O João tem muitos triângulos em casa, passa de lado, rasando paredes.

073

Passa um pássaro e o João: - Mas outra vez?

072

O João grama é a parte das explosões.

071

As lagartixas, diz o João, estas são diferentes, olha o mar aqui.

070

Mas ao Brasil o João vai devagar, mete-se no sol, chuta em câmara-lenta, como num filme, numa telenovela, explica muito pausado as bolas do gelado.

069

A forma do mundo são muitas mãos enlaçadas, diz o João. Assim, assim, assim.

068

O João lava pedras.

067

No camping a gente dorme a fingir.

066

Hoje foi dourada ao almoço, e só soube falar de canções em inglês.

065

O João é chegar, cheira envelopes, e vai à procura dos chocolatinhos.

063

Passaram latas, passaram carros, passaram peixes, pensava o João.

062

Às tantas, acrescentou a Inês, e o João à janela.

061

Já não existe o lugar que o João queria.

060

Dizem-lhe que é uma coisa estranha, mas o João só fala numa letra.  

059

Nesta segunda tentativa já falta balanço ao João, e não se sai mais da noite.

058

É uma coisa extraordinária, João, deixa-me ajudar, continua deste lado, anda, está quase.

057

Estava toda a turma contente, mas o João não percebeu e procurou a carteira onde sempre se sentara.

056

João sabe que não vai beijar Nikita.

055

Uma vez o João ia a saltar e viu que havia um cemitério lá em baixo, a julgar pelas pedras.

054

Quando vai saltar, dá sempre uns passos atrás e balança o tronco apoiado nos braços; depois o João diz umas coisas e inicia a passada.

053

Na Polónia também deu ao João pelo primeiro beijo.

052

Então o João disse: mas só se for o primeiro beijo.

051

Lavantou-se uma ventania devastadora, e o João aproveita para falar com alegria.  

050

Em matéria de idades qualquer um destes cavalheiros pode mesmo ser o João.

049

Foi quando o João disse que já estava farto de sonhos.

048

O João pergunta ao telefone quem vem hoje abrir as prendas.

047

Há pouco o João levantou-se, passei umas três vezes pelo seu assento e espero-o na zona de serviço de um dos topos da carruagem.

046

Também estou na carruagem do João, uns lugares atrás dele, e vejo-lhe a nuca de um lado a outro: devo acrescentar isto?

045

Entrou na carruagem à frente do João, lá dentro misturamo-nos todos a caminho.

044

Faz um ano que o João pensou nisso.

043

Ontem bateram à porta e perguntaram pelo João, mas nesse momento ele não estava, e ainda não voltou.   

042

É costume do João tentar fazer tudo muito melhor nestes últimos dias do ano, e ainda mais depressa. 

041

Glastonbury também é uma das palavras de que o João mais gosta.

040

O João não sabe se dorme, apesar de rir.

039

Na praia, o pé esquerdo do João pisa onde estiver pisado.   

038

Meses depois, atardecia, o João guardou o saco.

037

O João até gostava de ir à festa na moradia.

036

Hoje levamos as calças do João.

035

Foi a disposição do João e as maneiras na Inês, e deu.

034

Vamos por partes, o João é que calha.  

033

Ao João já só falta uma rua, vai sempre por outras.

032

Despachem-se, o João começou, por este lado.

031

E o João descansou os olhos.

030

O João: só se calhar.

029

E o João: e antes não?

028

Na alegria, o João grava os boletins meteorológicos.

027

Sentado no sofá, o João vê a família nas árvores.

026

O João é o rapaz que no fim apanha as flores.

025

Lembra-se da mãe, o João, comendo o chocapic do pacote.

024

Se faz vento sul, o João sabe ter um valente berbicaho entre mãos.  

023

Esticado o mantel e repostos os alimentos, a Inês diz que o João é inquieto.

022

Em arrancando, o João só corre, tanto, que é só correr atrás de correr.

021

Regressado do Brasil o João percebeu, e disse: tudo isto é a minha praia.

020

Há muito tempo, ainda antes das peúgas, ofereciam dessas coisas ao João.  

019

O João só vai à praia com a Inês, regressa aborrecido, dorme mal.  

018

Ao entrar em casa o João dá a volta, instala, e vai à porta.

017

Na Idade Média o João falava com mais ângulos.

016

Se fizer sol, ou um pouco mais de luz, o João irá cumprir.  

015

Com o tempo, o João passou a desejar aniversários felizes.

014

O João chutou uma garrafa pisada e lembra-lhe a escola.

013

Se o fosse, e às vezes quer, o João era mais das aventuras.

012

Mudou-se muitas vezes, o João, mas achou.

011

Um dia repara, o João vai crescendo.

010

Faz João, faz, faz.

009

Há nomes, e o do João dura através e depois do túnel.

008

Em pequeno o João, que espatifava brinquedos dos outros, só queria ser firme.

007

Somente na praia, e numa certa praia, a cessão é para o João.

006

Quando lhe apetece, e eu não insisto, o João traz as raquetas.

005

Depois o chão faz o João.

004

Curiosamente o João não anda.

003

Em dia bom o João pensa em árvore.

002

O João levanta em todas as línguas.

001

O João come mais depressa descalço.